Endometriose – A doença da mulher moderna

por Andreia em 14 de maio de 2010


“SAMAEL TRIP”

Hoje em dia no mundo existem cerca de 10% de mulheres com o quadro de endometriose, e isso é conhecido como a doença da mulher moderna, a qual se vê frente a exercer inúmeros papéis, e como conseqüência disso traz para si um enorme desgaste físico e mental. A endometriose diminui substancialmente a qualidade de vida, afinal de contas a endometriose traz uma dor pélvica freqüente e muitas vezes chega a ser incapacitante mesmo que seja para as coisas mais simples.

Pesquisas mostram que mulheres portadoras de endometriose tornam-se em geral mulheres cansadas, entristecidas, deprimidas, e frágeis, tudo isso causada pela dor a que estão sendo submetidas, pois normalmente apresentam quadros dolorosos crônicos, e que muitas vezes se tornam agudas, e que já não encontram alívio em analgésicos comuns, e isso faz com que procurem ajuda médica com o intuito de resolver de vez suas dores fortíssimas, mas após passarem por vários médicos, inclusive ginecologistas, mas sem contudo encontrarem solução para suas dores constantes, passam até por mulheres que inventam sintomas, pois relatam dores que não tem causa física encontrada.

Vemos que a endometriose é um problema que precisa ter uma atenção dos médicos clínicos e ginecologistas, afinal o objetivo desses profissionais nada mais deve ser do que cuidar da saúde e oferecer uma melhor qualidade de vida às mulheres.

Mas para que possamos entender de forma mais clara o que é a endometriose, precisamos primeiramente saber o que é o endométrio, que nada mais é do que a parte mais interna do útero, é onde o óvulo fecundado irá se abrigar, como se fosse um ninho onde o óvulo irá se aconchegar. No caso de não haver a fecundação, ou seja, no caso da mulher não ter engravidado, todo o revestimento do útero, o endométrio, é eliminado no que se chama de menstruação. No entanto pode ocorrer do endométrio se localizar fora de sua localização habitual, que seria o útero, a isso dá-se o nome de endometriose, sendo esse constituído do mesmo material do endométrio normal, tem seu desenvolvimento pelos mesmos mecanismos do habitual, o que seria, ele se desenvolve através de estímulos provocados pelo hormônio estrogênio, que se originam no ovário, e esses estímulos iniciam-se a cada principio de ciclo, o que quer dizer que, a cada menstruação haverá um sangramento no local onde o endométrio esta localizado fora do útero.

Veja que essa localização anômala do tecido endométrico é totalmente aleatória, e apesar de serem os órgãos pélvicos os mais acometidos, vários são os órgãos que podem abrigar esse tecido, logo pode-se encontrar endométrio na parte externa e na parede do útero, o que é chamado de adenomiose, nos ovários, nas tubas uterinas, que já foi chamada de trompas, na bexiga, no revestimento interno de todo o abdômen que é o peritônio, contudo, existem outros lugares onde pode se detectar a endometriose como por exemplo o diafragma, a parede abdominal, na trato urinário, nos pulmões, no intestino delgado, no reto e ainda existem outros menos freqüentes.

Não obstante, vemos que se o sistema imunológico das mulheres portadoras dessa doença trabalhasse da mesma maneira como o das mulheres que não desenvolveram essa doença, pois no caso das mulheres sadias, ao ocorrer essa presença de células endometriais fora do útero, o sistema imunológico reage e combatem essas células, retirando-as de circulação e não permitindo assim que a doença se instale, infelizmente, ainda não se sabe o que faz algumas mulheres terem essa defesa, e outras não.

O quadro clínico e outras informações, traremos em outro artigo.

{ 2 comentários… leia abaixo ou deixe o seu }

Alexandrra Carolina 6 de setembro de 2011 às 1:43

Ola eu tenho 21 anos e a uns 3 anos eu venho sentindo muita dor no pé da barriga, fui a vários médicos, e ninguém descobria o que era ate que eu fui encaminhada para uma ginecologista de nome Dra: maria Clara em Belo Horizonte MG no Hospital Campos Sales, ela diagnosticou a endometriose e foi feita uma cirurgia. após esse procedimento eu me mudei para Guarujá- Sp.
As dores só pioraram procurei aqui um ginecologista levando a ele todos os meus exames que foram feitos em Minas, então ele mandou que fizesse todos os exames, segundo ele eu estou bem me receitou o ciclo 21 mesmo meu marido sendo vazectomizado, eu não me seguro de dor principalmente nos períodos de menstruação, e após as relações. Aliás quase nem consigo te-las se algum profissional da área ler minha mensagem e se comover com minha situação me ajudem pois os médicos do sistema publico de saúde querem me indicar tratamentos em suas clínicas particulares onde eu nao tenho condição. Alegam que, pelo SUS o Ultrassom nao é bem feito. Meu Médico é o doutor Eduardo José Rimi CRM 38568. UNIDADE DE SAUDE DA FAMILIA CIDADE ATLÂNTICA.. esse é um pedido de socorro de mais uma Brasileira sem condição financeira para se tratar:
contato: Email. alexandraxuro@hotmail.com

Andreia 10 de setembro de 2011 às 15:36

Alexandra, espero sinceramente que algum especialista veja sua mensagem e lhe ajude, vc já tentou algum médico em outra cidade próxima, as vezes dá certo, tomara que vc resolva logo seu problema, pois ninguém merece viver com dor!!!

Deixe um comentário

Post Anterior:

Próximo Post